comunicação

Notícias

17 de julho de 2019

Uber tira usuários
do transporte coletivo

Uber tira usuários

A pesquisa, que abrangeu todo município de São Paulo, ouviu 351 usuários do aplicativo Uber, na modalidade Uber Juntos, no período de 18/02/2019 a 19/04/2019, entrevistados durante seu trajeto pela cidade.O objetivo do estudo foi verificar a aceitação e a origem dos usuários, além de analisar os impactos em outros meios de transporte devido a introdução desta nova modalidade.

O custo das viagens é o principal atrativo apontado pelos usuários que em 49% das viagens pesquisadas, obtiveram custo inferior a duas tarifas do transporte público em São Paulo (R$ 8,60), sendo R$ 9,46 o custo médio dos deslocamentos pesquisados.

Baixa ocupação de veículos e deslocamentos curtos proporcionam ao usuário a sensação de conforto inerente ao transporte individual, quesito que apresentou avaliação mais alta na pesquisa comparativa de qualidade com o transporte público.

Em média, as viagens do Uber Juntos percorreram 5,6 km e contaram com apenas 1,4 passageiros de ocupação, excluindo o pesquisador. Isso mostra que, apesar de "juntos" em seu nome, na maioria absoluta das viagens não é necessário que um passageiro compartilhe seu banco com outra pessoa.

O estudo também demonstra que a maioria dos usuários do Uber Juntos são oriundos do transporte público, como apontam dois dados pesquisados: o primeiro revela que antes do Uber Juntos, 62% dos usuários utilizavam o transporte público para realizar o mesmo deslocamento, sendo que metade deste número não selecionou nenhum outro meio, ou seja, eram usuários exclusivos do transporte público. O segundo resultado mostra que quando questionados sobre qual a alternativa para o mesmo deslocamento, pós uso da ferramenta, 94,5% da amostra ainda consideraria o transporte público, como primeira ou segunda opção.

A pesquisa ainda aponta que depois de ser inserido neste novo contexto de transporte, 95,2% dos utilizadores se transformam em usuários frequentes da ferramenta, com 4,8% de novos usuários, que dificilmente voltarão a se locomover de forma "analógica".Esta conjunção de dados aponta para uma migração permanente de usuários do transporte público para um transporte semi-individual.

Entre as finalidades de utilização do serviço, destacaram-se os motivos trabalho com 45,6% e lazer com 19,9%. A frequência de uso apontada foi de 3,8 viagens por semana na modalidade.

Fonte: Pesquisa da Quest Inteligência em conjunto com o GAESI/USP

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

23 de agosto de 2019

Seminário apresenta inovações para o setor

e o vencedor do 1º Desafio do COLETIVO

21 de agosto de 2019

Vice-presidente da Fetronor recebe homenagem da NTU

Luiz Fernando Bandeira de Mello ganhou medalha Medalha do Mérito do Transporte Urbano Brasileiro

21 de agosto de 2019

Despoluir realiza diagnóstico ambiental

nas empresas do Rio Grande do Norte

MAIS NOTÍCIAS