comunicação

Notícias

20 de março de 2019

Laço Amarelo
Programa de segurança viária

Laço Amarelo

Ciente da contribuição do ônibus na redução do número de acidentes de trânsito no país, a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), que representa mais de 500 empresas de ônibus no Brasil, passa a reforçar o grupo de entidades que aderiram ao programa Laço Amarelo. A partir de agora, a Associação terá acesso direto a conteúdos educativos e levantamentos sobre trânsito e poderá divulgá-los nos canais internos de comunicação, contribuindo para endossar ações em prol da segurança viária.Os materiais educativos e informativos serão disponibilizados pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), gestor do programa Laço Amarelo. "De posse desses conteúdos informativos do Observatório vamos reforçar o que sempre defendemos na prática, que o ônibus e o transporte público em geral são os meios mais seguros para os deslocamentos diários", informa o presidente executivo da NTU, Otávio Cunha.

Segundo o levantamento sobre mortes no trânsito por meio de locomoção, realizado pelo ONSV, a motocicleta é o veículo que mais mata no Brasil. Das 37,3 mil mortes ocorridas no trânsito brasileiro em 2016, as motocicletas foram responsáveis por 12,1 mil, o que representa 32% do total. O automóvel vem em segundo lugar, com 24% das vítimas, enquanto ônibus e caminhões juntos estão no fim da fila, com 0,93% dos casos.

O diretor-presidente do ONSV, José Aurelio Ramalho, também enfatiza a importância do transporte público na redução de acidentes de trânsito. "Enquanto os acidentes com motocicletas crescem, os causados por ônibus vêm diminuindo ano a ano, conforme apontam os estudos. Por isso, precisamos mudar nossa forma de nos locomover", reforça Ramalho e defende a criação de políticas públicas que incentivem o uso do transporte público em detrimento do individual. "Estamos muito felizes em termos a NTU como parceira nesse trabalho de formiguinha, que é propor a quebra de paradigmas e incentivar o comportamento seguro", afirma o diretor-presidente.

O Programa Laço Amarelo reconhece boas ações e permite que empresas, entidades e governos colaborem ainda mais com projetos estruturados na busca por um trânsito mais seguro. Ele foi criado em 2017 e já conta com a adesão de 25 entidades. De acordo com o ONSV, é por meio dele que se mantêm ações alinhadas com o Movimento Maio Amarelo durante todo o ano, para conscientizar o cidadão de que nenhuma morte no trânsito é aceitável.

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

17 de abril de 2019

Setor alerta governo sobre necessidade

de redução do preço do diesel

16 de abril de 2019

Nova planilha tarifária acompanha

crescimento do transporte coletivo urbano

12 de abril de 2019

Petrobras eleva preço do diesel

Aumento é de 5,74% nas refinarias

MAIS NOTÍCIAS