comunicação

Notícias

27 de março de 2013

Transporte ferroviário de cargas...
...cresce 2,8% em 2012

Transporte ferroviário de cargas...

Minério de ferro, soja e milho são os principais produtos transportados pelas ferrovias no país. Eles corresponderam a 73,9%, 5,18% e 3,79%, respectivamente, das cargas transportadas pelo modal, que totalizaram 301,4 bilhões de TKU (tonelada por quilômetro útil) em 2012. O aumento é de 2,8% em comparação com o ano anterior. Esses e diversos outros dados relativos ao setor compõem um estudo publicado nesta terça-feira (26) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).
O levantamento “Transporte e Economia – o Sistema Ferroviário Brasileiro” traz uma análise completa do setor ferroviário, apresentando estatísticas sobre a movimentação de carga, investimentos públicos e privados e os principais entraves relacionados ao desenvolvimento do modal.
De acordo com o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, o transporte ferroviário nacional vem ganhando destaque como um mecanismo indutor de crescimento e desenvolvimento econômico. “Os investimentos anunciados no final do ano passado pelo governo federal são um avanço para o setor. Contudo, intervenções importantes para o desenvolvimento do país, como a construção de contornos ferroviários e recuperação de ferrovias, não foram contempladas”, destaca.
Esse é justamente um dos pontos abordados pelo relatório: a necessidade de ampliação dos recursos disponibilizados pelo governo. A CNT avalia que as obras previstas para a melhoria da malha são medidas corretivas, insuficientes para a adequação da matriz de transporte brasileira e para o incentivo à produção nacional.
O Programa de Investimento em Logística (PIL) prevê intervenções em 10 mil quilômetros de ferrovias com investimento estimado em R$ 91 bilhões, dos quais R$ 56 bilhões devem ser aplicados nos primeiros cinco anos de contrato.
O trabalho ainda avalia o novo modelo de concessão proposto dentro do PIL. De acordo com o levantamento, a maior complexidade do modelo e a maior regulamentação podem dificultar o funcionamento do sistema e do mercado de transporte ferroviário de cargas. EntravesNos últimos anos, o transporte ferroviário no Brasil registrou um significativo incremento. De 2006 a 2012, a produção teve alta de 26% (média de 4,4% ao ano). Em 2012, foram movimentados 459 milhões de toneladas úteis.
Porém, mesmo diante de resultados positivos, o desempenho e a eficiência das ferrovias nacionais são afetados por diversos fatores. As invasões das faixas de domínio reduzem a velocidade comercial de 40 km/h para até 5 km/h. Outro entrave se refere aos 12.289 cruzamentos rodoferroviários. Desses, 2.569 são considerados críticos e 276 prioritários.

Fonte: Agência CNT

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de julho de 2019

Sest Senat promove a Semana do Motorista

Unidades do RN e PB realização várias atividades de 21 a 28 de julho

17 de julho de 2019

Uber tira usuários do transporte coletivo em SP

De cada 10 usuários do Uber Juntos, seis eram do transporte público

16 de julho de 2019

EaD do SEST SENAT lança novos cursos

Cursos são gratuitos para trabalhadores do transporte

MAIS NOTÍCIAS