comunicação

Notícias

01 de fevereiro de 2018

Tarifa em Maceió
Perdas chegam a 31%

Tarifa em Maceió

A perda de mais de 31% no volume de passageiros, em dezembro de 2017, e o prejuízo de R$ 25 milhões nos últimos dois anos explicariam por que razão a empresa Veleiro propôs à Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) elevação da tarifa de ônibus para até R$ 4,47. O valor é R$ 0,45 centavos superior aos R$ 4,02 sugeridos pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Sinturb). Atualmente, a passagem custa R$ 3,50.

A informação de que a Veleiro precisaria de tarifa bem maior para recompor suas receitas surgiu durante reunião do Conselho de Transportes e Trânsito da Capital, ontem, na sede da SMTT. De acordo com o empresário Gustavo Barbosa, a redução de 31,95% no volume de passageiros significou prejuízo de R$ 1.022.479,50 somente em dezembro de 2017. Naquele mês, os coletivos da companhia deveriam ter transportado até 914.165 passageiros, mas só receberam 622.028 mil.

"O ideal para o sistema seria o retorno dos passageiros perdidos. É por isso que cobramos fiscalização sobre outros tipos de transporte", disse Gustavo Barbosa, referindo-se às lotações clandestinas que coletam virtuais passageiros da Veleiro e os levam por preço reduzido ao centro da capital alagoana.

"Para taxista, ficou viável fazer lotação sem levar em consideração o taxímetro", completou o empresário, segundo a qual a "concorrência é desleal" e muito visível nos trechos onde a Veleiro é que detém autorização para coletar e transportar passageiros. "Quando a fiscalização aparece, o passageiro regressa", afirmou o empresário.

FONTE: Gazetaweb.globo.com

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

20 de junho de 2018

Inscrições abertas para Prêmio CNT de Jornalismo

Concorrem trabalhos jornalísticos veiculados entre 8/08/2017 e 6/08/2018

18 de junho de 2018

Copa SEST SENAT de Direção Segura e Econômica

Partidas entre empresas de transporte começam nesta terça-feira (19)

18 de junho de 2018

Venda de veículos não poluentes cresce no mundo

Cresce adesão e subsídio para veículos elétricos e hibridos

MAIS NOTÍCIAS