comunicação

Notícias

12 de setembro de 2014

Sistema registra auto de infração em tempo real
Nova tecnologia facilita pagamento de multas e desburocratiza procedimentos

Sistema registra auto de infração em tempo real

Um sistema inovador e automatizado para registro de autos de infração, desenvolvido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), tem facilitado o pagamento de multas pelo usuário e desburocratizado procedimentos como notificação, defesa e interposição de recursos administrativos. Trata-se do Sifama (Sistema Integrado de Fiscalização, Autuação, Multa e Arrecadação), cujo projeto piloto entrou em operação em maio deste ano.

Nesse primeiro momento, o sistema tem sido implantado nas balanças de todos os postos de fiscalização das rodovias federais concedidas, instaladas para verificar excesso de peso nas carretas em circulação pelas vias. Em síntese, o processamento de um auto de infração segue o seguinte fluxograma: lavratura, notificação, defesa, recurso, inscrição no Serasa e inscrição na dívida ativa. Com o antigo sistema, levava-se, em média, dois anos e meio para se chegar até a última etapa do processo. Com o Sifama, esse tempo foi reduzido para cinco meses e meio. Caso não seja pago pelo autuado, o auto de infração poderá ser inscrito no Serasa a partir de três meses de sua lavratura.

Antes, somente a lavratura do auto poderia chegar a 30 dias. Hoje, o auto é lavrado em tempo real. “A vantagem é que o auto nasce e morre eletrônico. Com essa tecnologia, tivemos exemplo de um auto que foi pago em menos de dois meses”, revela o técnico Hélio Roberto Silva de Sousa, um dos responsáveis pelo sistema. A maior rapidez nos procedimentos de cobrança foi possibilitada por meio de uma integração com os Correios. Após proceder à lavratura do auto de infração, o sistema gera e emite, de forma automática, a notificação para os serviços de postagens, que a envia para o autuado em até 24 horas. Caso não apresente defesa ou recurso, o usuário poderá acessar uma área criada especificamente para ele – a “Área do Autuado” - e imprimir o boleto de cobrança.

Nesse espaço, está prevista, em breve, uma série de outros serviços, como pedidos de parcelamentos de débitos e vistas ao processo. A segurança da informação é garantida por meio de certificado digital, exigido para algumas funcionalidades. “Isso garante uma maior autonomia do usuário e evita que ele se dirija fisicamente a alguma unidade da ANTT para executar uma ação já disponível no ambiente virtual”, explica Eduardo Marra, gerente de Processamento de Autos de Infração.

O sistema está integrado também à Receita Federal, o que possibilita a validação das informações cadastrais de uma empresa nas bases dados da Fazenda. O próximo órgão a ser integrado será o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). Com a automatização do processo e a execução de ações em tempo real, eliminou-se o risco de prescrição processual. Outra vantagem refere-se ao fim de arquivo físico na área de multas, o que resulta em ganho de espaço e minimização de impactos ambientais.

Com informações da ANTT - Ana Rita Gondim

Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de julho de 2019

Sest Senat promove a Semana do Motorista

Unidades do RN e PB realização várias atividades de 21 a 28 de julho

17 de julho de 2019

Uber tira usuários do transporte coletivo em SP

De cada 10 usuários do Uber Juntos, seis eram do transporte público

16 de julho de 2019

EaD do SEST SENAT lança novos cursos

Cursos são gratuitos para trabalhadores do transporte

MAIS NOTÍCIAS