comunicação

Notícias

24 de fevereiro de 2016

SEST SENAT na
luta contra o Aedes

SEST SENAT na

O SEST SENAT vai fortalecer a mobilização do setor de transporte no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti. As 149 Unidades Operacionais espalhadas pelo Brasil e a Diretoria Executiva da instituição deram a largada em uma campanha que visa promover a conscientização sobre o problema. “O Aedes aegypti tem se desenvolvido e se tornado uma ameaça internacional à saúde, como vetor de transmissão de doenças sérias. Dengue, febre chikungunya e o vírus zika são as mais preocupantes. É fundamental a mobilização de todos no processo de conscientização do profissional do transporte”, destaca o presidente dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT e da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Clésio Andrade.

Com o tema “Não dê carona ao Aedes aegypti”, a ação dá dicas sobre cuidados simples, porém fundamentais, que devem ser adotados no cotidiano para conter a proliferação do mosquito. As peças publicitárias estão disponíveis nas Unidades e também podem ser compartilhadas pelo Facebook​ e pelo Whatsapp. Entre as medidas que têm um papel decisivo nessa luta está o cuidado com pneus. Conforme a diretora do Departamento de Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Zilda Veloso, “eles são perfeitos para a reprodução do mosquito, pois são escuros, bem vedados e acumulam água facilmente”. Por isso, não se deve deixá-los em locais abertos. Se eles não forem mais utilizados para rodar, Zilda Veloso recomenda que os pneus sejam furados ou cortados ao meio e dispostos com a abertura para baixo. Ou, então, o descarte deve ser feito corretamente. O ideal, é entrar em contato com a prefeitura, comerciantes ou fabricantes para identificar pontos de coleta. Outros utensílios, como lonas, reboques ou mesmo implementos e veículos que ficam parados por muito tempo também devem ser verificados, pois podem se tornar criadouros do mosquito.

Veja as principais recomendações da campanha “Não dê carona ao Aedes aegypti”:

- Pneus devem ser guardados em locais cobertos;

- Lonas utilizadas para cobrir objetos ou entulhos devem estar sempre bem esticadas, para não acumular água;

- Lave com água e sabão o interior dos tanques utilizados para armazenar água, semanalmente;

- Remova folhas, galhos e tudo o que possa impedir a água de passar pelas calhas;

- Encha os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda ou lave-os uma vez por semana;

- Troque a água dos vasos de plantas aquáticas e lave-os com escova e sabão, uma vez por semana;

- Mantenha a caixa d’água bem fechada e uma tela no ladrão do reservatório;

- Não deixe água acumulada sobre a laje; - Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada, longe do alcance de animais;

- Mantenha garrafas com a boca virada para baixo, para evitar o acúmulo de água;

- Faça sempre a manutenção de piscinas ou fontes, utilizando produtos adequados;

- Se o ralo não for de abrir e fechar, coloque uma tela para impedir o acesso do mosquito à água;

- Não deixe água acumulada em folhas secas e tampas de garrafas;

- Coloque areia dentro de todos os cacos que possam acumular água;

- Mantenha bem tampados tonéis ou barris de água;

- Os vasos sanitários fora de uso ou de uso eventual devem ser tampados e verificados semanalmente;

- Limpe sempre a bandeja do ar-condicionado, para evitar acúmulo de água.​

 

Fonte: Natália Pianegonda - Agência CNT de Notícias

 

 

 

 

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

23 de outubro de 2019

Piora a qualidade das rodovias brasileiras

Pesquisa CNT de Rodovias indica que 59% da extensão avaliada apresenta problemas

23 de outubro de 2019

Fetronor realiza reunião com técnicos

e coordenadores do Despoluir em Natal

21 de outubro de 2019

Frente Parlamentar Mista apresenta emenda

para criação do Fundo Nacional de Financiamento do Transporte Público

MAIS NOTÍCIAS