comunicação

Notícias

13 de junho de 2013

Ônibus e automóveis são os principais meios de deslocamento dos brasileiros
Pesquisa foi divulgada pela CNT/MDA

Ônibus e automóveis são os principais meios de deslocamento dos brasileiros

Os principais meios de deslocamentos dos brasileiros são os ônibus e os automóveis – 33,4% e 29,1% utilizam, respectivamente, esta categoria de transporte para ir e voltar do trabalho, viajar ou para atividades de lazer. Os dados sobre mobilidade urbana são da 113ª Pesquisa CNT/MDA divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). O levantamento foi realizado de 1º a 5 de junho e ouviu mais de duas mil pessoas - a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Sobre as outras formas de deslocamento, os entrevistados responderam que se locomovem a pé (14%), de motocicleta (12,7%), de bicicleta (5,6%) e por meio de metrô ou trem (2,9%). Outros meios foram lembrados por 2,1% dos cidadãos.


Os principais fatores para a escolha do meio de transporte são, segundo a pesquisa, a falta de opção (28,6%), o custo (16,4%) e o conforto (14,3%). Os demais indicadores lembrados foram acessibilidade (12,4%), tempo (11,4%), frequência (4,9%), flexibilidade do horário (4,7%), segurança (4,1%) e sustentabilidade (2,2%). Questionado sobre a importância de a pesquisa enfocar temas sobre mobilidade urbana, o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, destaca que a intenção é alertar o governo. “O país precisa de R$ 500 bilhões de investimentos em infraestrutura de transportes. O governo anunciou alguns programas, mas não consegue colocar os processos licitatórios nas ruas. Existe uma falta de investimento público muito forte no país, problemas de burocracia e de gestão”, afirma.


Ainda em relação à mobilidade urbana, 49,1% dos entrevistados afirmaram que demoram até 30 minutos para ir e voltar do trabalho, da escola ou para outras atividades. Outros 25,3% e 14,2%, respectivamente, levam de 30 minutos a uma hora ou de uma hora até duas horas. Apenas 1,6% dos entrevistados responderam que perdem mais de quatro horas no trânsito. Mais um problema freqüente, decorrente da falta de infraestrutura para melhorar o tráfego, são os engarrafamentos – 30% dos entrevistados responderam que enfrentam um, dois ou mais congestionamentos diários. Quase 8% disseram que ficam parados no trânsito uma, duas ou três vezes por semana. Mais de 43% afirmaram que ainda não enfrentam nenhum tipo de congestionamento. Para 35,9% dos entrevistados, todos os tipos de veículos contribuem para os engarrafamentos. Outros 34,5% e 10,9%, respectivamente, apostaram nos carros e caminhões como os que mais prejudicam a fluidez do trânsito nas cidades. Os ônibus (5,1%) e as motos (2,6%), aparecem em último lugar na lista. 

Fonte: Agência CNT 

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

23 de outubro de 2019

Piora a qualidade das rodovias brasileiras

Pesquisa CNT de Rodovias indica que 59% da extensão avaliada apresenta problemas

23 de outubro de 2019

Fetronor realiza reunião com técnicos

e coordenadores do Despoluir em Natal

21 de outubro de 2019

Frente Parlamentar Mista apresenta emenda

para criação do Fundo Nacional de Financiamento do Transporte Público

MAIS NOTÍCIAS