comunicação

Notícias

17 de junho de 2013

Governo federal vai investir R$ 4 bilhões para melhorar a sinalização das rodovias
Investimento faz parte do Programa BR-Legal

Governo federal vai investir R$ 4 bilhões para melhorar a sinalização das rodovias

O Programa Nacional de Segurança e Sinalização Rodoviária (BR-Legal) começou a sair do papel. No dia 10 deste mês, foram assinadas as ordens de serviços dos primeiros trabalhos, que serão os de manutenção das vias dos estados de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, do Mato Grosso, de Pernambuco e do Distrito Federal. Eles serão executados por 11 empresas especializadas e deverão começar em 60 dias. 
Simultaneamente, todas as empresas contratadas, sob a supervisão dos técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), desenvolverão os projetos executivos para a nova sinalização. Estes deverão estar concluídos em 180 dias e vão proporcionar o aumento de segurança viária em travessias urbanas, acessos, curvas e locais concentradores de acidentes.
Com isso, os investimentos vão aumentar a quantidade e a qualidade das sinalizações horizontal e vertical. As faixas horizontais, por exemplo, serão demarcadas com materiais com alto grau de refletância para aumentar a visibilidade. Por sua vez, a sinalização vertical contará com mais placas, com películas de alta refletividade e defensas metálicas. Atentas à sinalização turística, as placas serão bilíngues, indicarão os principais pólos turísticos em todo o território nacional e as cidades que sediarão a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016. 
O BR-Legal consiste em implantar e manter sinalização horizontal, vertical e suspensa, dispositivos auxiliares de segurança viária e serviços relacionados à área de engenharia de trânsito em toda a malha federal sob a responsabilidade do Dnit. Com contratos de cinco anos de duração, o programa tem como meta investir R$ 4 bilhões com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). O programa foi elaborado com base nos padrões tecnológicos do setor e segue as definições da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). 

Com informações do Portal do Planalto e Dnit 

Ana Rita Gondim - Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

15 de outubro de 2019

Reforma tributária: CNT vai ouvir transportadores

na segunda fase da pesquisa

15 de outubro de 2019

Aplicativo de ônibus reduz uso do carro

Inovação do transporte coletivo começa a mostrar resultados

12 de outubro de 2019

Sest Senat inaugura unidade de João Câmara-RN

Evento contou com a presença do presidente da CNT

MAIS NOTÍCIAS