comunicação

Notícias

26 de setembro de 2018

CNT apresenta propostas para o próximo Governo Federal
Confederação divulga lista com 60 projetos de transporte essenciais para o país

CNT apresenta propostas para o próximo Governo Federal

Quais as prioridades do próximo governo para o setor de transporte? Como os novos gestores públicos trabalharão as necessidades dos modais rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo? Para além da infraestrutura, que lugar o meio ambiente, a desburocratização e a eficiência do Estado ocuparão na agenda dos poderes Executivo e Legislativo para que se crie um ambiente jurídico forte e atrativo para os investidores? São muitas as preocupações. Por isso, a Confederação Nacional do Transporte lança, nesta quarta-feira (19), o documento "O transporte move o Brasil – Propostas da CNT aos Candidatos"​. O documento está sendo entregue, a partir de hoje, aos presidenciáveis.

Os temas prioritários e sensíveis que merecem destacada atenção durante a gestão 2019-2022 estão detalhados em 112 páginas. No material, a Confederação também apresenta 13 fichas com os principais problemas e soluções para o Brasil, com foco no setor de transporte. O documento lista ainda 60 projetos de infraestrutura considerados como primordiais para que o sistema de transporte se torne cada vez mais eficiente.

"O transporte é um dos pilares básicos do desenvolvimento de um país. Pensar no Brasil sem um sistema de transporte eficiente e robusto é mantê-lo estagnado, ou pior, é deixá-lo preso ao passado. E o Brasil precisa se movimentar em direção ao futuro. A CNT acredita que este é o momento propício para isso", ressalta o presidente da Confederação, Clésio Andrade.

Para a manutenção rodoviária, a CNT propõe, por exemplo, a criação de um programa de PPPs (Parcerias Público-Privadas) que use recursos da Cide-combustíveis para financiar a contrapartida federal e a cobrança de pedágio por parte da iniciativa privada. Para as ferrovias, a instituição considera essencial a efetivação da política de prorrogação antecipada dos contratos de concessão.

No setor aquaviário, é urgente o aprimoramento do sistema Porto sem Papel, que desburocratiza a atividade portuária e deveria garantir o seu funcionamento nos portos e TUPs (Terminais de Uso Privado) durante 24 horas por dia. Para garantir a melhoria da infraestrutura aeroportuária e da qualidade dos serviços prestados, o modelo de concessões de novos terminais deve ser reformulado seguindo as regras adotadas na quinta rodada, e é preciso ser criada uma política tributária que torne menos onerosa a cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o querosene de aviação, um dos principais insumos das empresas aéreas.

Em relação à mobilidade urbana, o documento da CNT trata como prioritária a disponibilização de apoio técnico e financeiro para o desenvolvimento dos Planos Municipais de Mobilidade. Outro tema sensível é o meio ambiente. Para a Confederação, é essencial a criação de um programa nacional de eficiência energética para o setor rodoviário de cargas e o estímulo ao uso do biocombustível na aviação, além da associação da política de mistura do biodiesel ao diesel a um programa de inovação tecnológica que garanta maior eficiência dos veículos.

Na parte de capacitação profissional, o documento, elaborado em parceria com o SEST SENAT, sugere a criação de um exame nacional para avaliação de instituições e alunos/egressos de educação profissional, além da alteração do Código de Trânsito Brasileiro para reduzir a idade mínima e o lapso temporal exigido para a realização do processo de mudança de categoria aos motoristas que desejam se tornar profissionais. "O transporte move o Brasil. Essa é a oportunidade de se corrigirem os erros do passado e de preparar o país para um novo ciclo de crescimento econômico sustentado", afirma Clésio Andrade.

Confira as propostas emergenciais que devem ser iniciadas pelo governo já em 2019:

• Promoção de PPPs para a manutenção rodoviária;

• Aprovação da Reforma do Sistema Tributário Nacional, visando à diminuição da burocracia e da carga tributária;

• Simplificação da legislação de debêntures de infraestrutura como forma de viabilizar novos investimentos para o setor de transporte;

• Descontingenciamento dos recursos do Funset para que sejam executados em suas destinações legais;

• Publicação de normativos para regulamentar a lei nº 13.448/2017, que trata da devolução de concessões rodoviárias, sobretudo as da terceira etapa;

• Ampliação da abrangência do programa BR-Legal de modo a renovar a sinalização das rodovias federais;

• Apoio técnico e financeiro para o desenvolvimento dos Planos Municipais de Mobilidade;

• Prorrogação antecipada dos contratos de concessão ferroviária;

• Criação de um programa nacional de renovação da frota de veículos rodoviários pesados;

• Aprimoramento do sistema Porto sem Papel;

• Desburocratização e facilitação dos processos de regularização ambiental.

Durante todo o período eleitoral, a Agência CNT de Notícias publicará novas reportagens que detalham as propostas da Confederação para o setor de transporte.

Evie Gonçalves
Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

10 de outubro de 2018

Despoluir visita empresas do Recife-PE

Equipe entregou Diagnóstico Ambiental

10 de outubro de 2018

Despoluir participa do SIPATMA da Viação Cidade Alta

Funcionários da empresa de Pernambuco acompanharam palestra do Programa Ambiental do Transporte

09 de outubro de 2018

Despoluir faz visita técnica em João Pessoa-PB

Coordenadora Rosiléa Leite comandou os trabalhos do Programa Ambiental do Transporte

MAIS NOTÍCIAS