comunicação

Notícias

18 de agosto de 2017

Campanha contra
o embarque irregular

Campanha contra

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) lançou nesta quinta-feira (17) a campanha Faça Certo. A ação visa acabar com o embarque indevido pelas portas do meio e traseira, pulo de catraca, acesso aos terminais de integração de forma irregular e viajar na área dianteira sem pagamento de passagem. De acordo com o consultor da Urbana-PE, Bernardo Braga, esses são alguns dos motivos pelos quais os coletivos andam superlotados e a passagem encarece na Região Metropolitana do Recife (RMR).

"Com isso, o veículo acaba transportando mais gente do que projetado, além de que quem arca com o valor da passagem de quem entra irregularmente é quem paga a passagem", detalha. A Urbana-PE explica que, atualmente, 10% do total de passageiros cometem essas fraudes em ônibus normais. Esse número cresce quando se trata de BRT: 12,5% deles embarcam de modo ilegal. "Diariamente, 180 mil pessoas utilizam o transporte público de forma irregular", detalha o consultor antes de exibir alguns flagras de acesso aos coletivos de forma ilegal.

Por conta disso, de forma educativa, o Sindicato lançou a campanha Faça Certo com o objetivo de conscientizar a população para a atitude. Um canal foi aberto através do WhatsApp pelo número (81) 99236 9002 para denúncias e informações sobre esse tipo de caso. "Queremos levar os passageiros à reflexão sobre as implicações do mau uso do serviço", explica o presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira.

Campanha de vídeo e rádio, banners e peças em coletivos foram iniciadas nesta quinta, iniciando o processo de conscientização. "Os operadores das empresas e orientadores já estão recebendo treinamentos há 15 dias a fim de fazer cumprir essa ação", explica Braga.

Impactos e dados

A Urbana-PE listou os impactos dessas fraudes no sistema. Conforme o Sindicato, isto causa risco ao passageiro; ocupação indevida de assentos preferenciais; hostilização do ambiente de transporte; desequilíbrio econômico-financeiro-agravamento dos desafios para financiamento do serviço (que pode provocar o aumento das passagens) e o nível de ocupação indesejado.

Ainda, segundo levantamento, 75,40% dos usuários não possuem gratuidade de passagens, no entanto, 11,45% são estudantes; 6,17% têm passe livre; 4,6% têm livre acesso e o restante são correspondentes a outros passageiros.

Fonte: leiaja.com

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de julho de 2019

Sest Senat promove a Semana do Motorista

Unidades do RN e PB realização várias atividades de 21 a 28 de julho

17 de julho de 2019

Uber tira usuários do transporte coletivo em SP

De cada 10 usuários do Uber Juntos, seis eram do transporte público

16 de julho de 2019

EaD do SEST SENAT lança novos cursos

Cursos são gratuitos para trabalhadores do transporte

MAIS NOTÍCIAS