comunicação

Notícias

05 de setembro de 2012

Cai número de passageiros de ônibus em São Paulo
Número de usuários do metrô vai crescer, mas haverá migração do transporte público para o individual

Cai número de passageiros de ônibus em São Paulo

Menos pessoas estão viajando de ônibus urbanos na Capital Paulista, de acordo com levantamento feito pela SPTrans – São Paulo Transportes, autarquia responsável pelo gerenciamento dos serviços na cidade.

A queda, no entanto, é pequena: 0,6% no acumulado dos sete primeiros deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. É a primeira redução no número de pessoas transportadas desde a criação do Bilhete Único que permite até quatro viagens de ônibus num período de três horas pelo valor da mesma tarifa ou integrações com os sistemas de metrô e trem.

Até julho deste ano, as empresas e cooperativas de ônibus de São Paulo transportaram 1 bilhão 679 milhões 326 milhões e 12 passageiros contra 1 bilhão 686 milhões 606 mil 414 passageiros de janeiro a julho de 2011.

O jornal O Estado de São Paulo conseguiu da SPTrans um estudo que mostra que apesar de a queda ser baixa ela revela uma tendência. O número de passageiros de ônibus deve cair 27%.

A gerenciadora de ônibus comemora a queda do total de usuários de ônibus porque diz que boa parte dos passageiros tem migrado para o metrô, o que deve se fortalecer nos próximos anos. Em 2015, o número de pessoas que usam metrô na cidade de São Paulo deve ultrapassar os passageiros de ônibus e em 2012, de acordo com esse estudo, serão 16,5 milhões de viagens no sistema metroferroviário contra 7,8 milhões nos ônibus. Hoje são 9,8 milhões de viagens nos ônibus contra 7 milhões no metrô. Ocorre que para o deslocamento em metrô, boa parte dos usuários acaba fazendo mais viagens para chegarem ao mesmo destino por causa das integrações em comparação aos deslocamentos que faziam só com ônibus.

NÃO É SÓ O METRÔ RESPONSÁVEL PELA MIGRAÇÃO DE PASSAGEIROS:

O que a SPTrans comemora até com ares de vitória, oculta um problema revelado em seu próprio estudo. A queda no número de passageiros dos ônibus não é só por conta da migração para o metrô. Isso porque, mesmo com a conclusão de todas as obras de expansão, o metrô não vai ainda poder atender a todas as regiões da cidade.

A própria SPTrans calcula que o número de pessoas que usam o transporte individual vai continuar crescendo. Um dos principais motivos é justamente ainda a dificuldade para se chegar ao metrô, serviço que é de responsabilidade da SPTrans e que precisa melhorar os atendimentos por ônibus dos bairros até as estações, com corredores exclusivos e melhor gerenciamento.

O superintendente de Planejamento de Transporte da SPTrans, Laurentino Junqueira, disse ao O Estado de São Paulo, que a região metropolitana possui uma “frota reserva” de carros na ordem de 3,5 milhões. Ele calcula que com a melhoria do trânsito em algumas vias, muitos que usam o transporte público vão se sentir encorajados a deixar o sistema e fazerem seus deslocamentos diários com carros o que vai anular o benefício inicial da melhoria do trânsito.

Laurentino Junqueira compara São Paulo a Tóquio, mesmo sem considerar suas diferenças geográficas, econômicas e sociais, e diz que na cidade japonesa, 60% dos deslocamentos são feitos de metrô, 35% de carros e 5% de ônibus.

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de julho de 2019

Sest Senat promove a Semana do Motorista

Unidades do RN e PB realização várias atividades de 21 a 28 de julho

17 de julho de 2019

Uber tira usuários do transporte coletivo em SP

De cada 10 usuários do Uber Juntos, seis eram do transporte público

16 de julho de 2019

EaD do SEST SENAT lança novos cursos

Cursos são gratuitos para trabalhadores do transporte

MAIS NOTÍCIAS