comunicação

Notícias

23 de julho de 2014

Brasil precisa de investimento para mais...
... de dois mil projetos de transporte e mobilidade

Brasil precisa de investimento para mais...

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) elencou 2045 intervenções em infraestruturas de transporte, nos diversos modais, necessárias para o desenvolvimento do país. Os investimentos na modernização, ampliação e integração das malhas deveriam chegar a R$ 987 bilhões para aumentar a competitividade de diversos segmentos econômicos, segundo dados da entidade apresentados a empresários chineses durante seminário realizado nessa quarta-feira (16) em Brasília.

Calcula-se que, hoje, até 15% do PIB (Produto Interno Bruto) do país seja gasto em logística, conforme números expostos pela EDPL (Estação da Luz Participações Ltda) com base em estimativas do Banco Mundial. Nos Estados Unidos, por exemplo, o índice chega a 8%. As ineficiências nos sistemas de transporte consomem 5% das riquezas produzidas no Brasil.

De acordo com o diretor-executivo da CNT, Bruno Batista, a necessidade de melhorias na infraestrutura de transportes cria grandes oportunidades para a formação de parcerias entre brasileiros e chineses. "Sabe-se da importância do setor de transporte como mola propulsora para qualquer ação de desenvolvimento", disse ele ao destacar que o país visualiza, no exemplo chinês, um modelo exitoso de construção de um sistema de transportes eficiente e que proporciona baixos custos logísticos.

Escritório na China
Atenta pra as necessidades e possibilidades de parcerias com a China, em abril deste ano a CNT instalou, na cidade de Pequim, o escritório de representação da entidade. O objetivo é facilitar a integração entre empresas brasileiras e chinesas e, assim, viabilizar novos investimentos estrangeiros no Brasil. "O que esperamos é possibilitar um aprendizado a partir dos modelos já desenvolvidos pela China e oferecer oportunidades de parceria que proporcionem benefícios bilaterais", explicou Batista aos empresários.

Investimentos
Segundo Bruno Batista, as oportunidades são grandes. Ele salientou que, dos recursos disponíveis para infraestrutura logística entre 2007 e 2014, apenas 62% foram aplicados pela União. "O governo federal ainda tem dificuldade de fazer, de forma efetiva, os investimentos. Isso constitui uma boa oportunidade, já que a participação do capital privado é fundamental para alcançarmos a modernização desejada".

Na avaliação da CNT, os modais ferroviário e aquaviário têm maior potencial para atrair o interesse dos chineses. Isto porque, de acordo com a entidade, 98% das exportações e 90% das importações passam pelos portos. Além disso, apesar das dimensões continentais, o país tem apenas 30 mil km de ferrovias. Para o governo federal, este modal é considerado prioridade especialmente para melhorar o escoamento da produção agrícola do interior do país para os portos marítimos.

Projetos
No entanto, para viabilizar os intercâmbios comerciais, é necessário apresentar aos empresários as possibilidades de investimento. "Eles precisam conhecer as características dos projetos, o nível de investimento e a importância disso, não apenas para a integração da malha no Brasil, mas também para mensurar os potenciais ganhos que eles terão no escoamento de produtos que compram do Brasil", afirmou Bruno Batista.

Para o empresário Li Dongfang, presidente da Empresa de Recursos Energéticos e Transportes do Nordeste Asiático, é exatamente na divulgação das oportunidades que o Brasil deve apostar neste momento. Conforme ele, há interesse, por exemplo, em investir em portos, rodovias e no transporte aéreo. Mas é necessário conhecer projetos que podem viabilizar parcerias. Para ele, a abertura do escritório da CNT em Pequim é uma iniciativa fundamental para facilitar os acordos.

Alguns dos principais projetos de infraestrutura de transportes foram expostos aos empresários chineses pelo diretor-executivo da CNT durante o seminário. Ele salientou que, apesar do volume de recursos elevado que é necessário para execução das iniciativas, a consolidação de parcerias entre empresas e a existência de linhas de financiamento no Brasil favorecem a concretização das iniciativas.

Segundo levantamento da Confederação Nacional do Transporte, a realização dos 2045 projetos apontados como necessários para o país será capaz de tornar o sistema logístico brasileiro mais amplo, integrado e moderno.

Natália Pianegonda

Agência CNT de Notícias

Compartilhe esta notícia

últimas notícias

18 de julho de 2019

Sest Senat promove a Semana do Motorista

Unidades do RN e PB realização várias atividades de 21 a 28 de julho

17 de julho de 2019

Uber tira usuários do transporte coletivo em SP

De cada 10 usuários do Uber Juntos, seis eram do transporte público

16 de julho de 2019

EaD do SEST SENAT lança novos cursos

Cursos são gratuitos para trabalhadores do transporte

MAIS NOTÍCIAS