biblioteca

Artigos

04 de março de 2011

Dicas para economiza combustível e equipamento

Suavidade ao volante  

Tenha sempre em mente que cada aceleração imprimida ao veículo representa aumento de consumo. Assim, dirija com suavidade: arranque e retome velocidade em um ritmo moderado e procure manter a velocidade mais constante, evitando arrancadas bruscas e freadas repentinas (a menos que esteja em situação de risco).

 

Antecipe as razões de uma freada, como semáforos, lombadas e pedágios, desacelerando mais cedo, porém evite o uso da embreagem com o veículo em movimento, pois esta atitude aumenta o consumo do veículo. Simplesmente tire o pé do acelerador e freie, use a embreagem para trocar as marchas. A diferença de consumo entre uma direção suave e uma mais agressiva pode superar 50%. Na estrada, ir mais devagar também faz toda diferença, pois a resistência do ar cresce ao quadrado da velocidade (por exemplo, a 160 km/h é quatro vezes maior do que a 80km/h), elevando ainda mais o consumo. Em viagens, manter a velocidade constante dentro das normais legais, preferencialmente a 80km/h, é fundamental para a segurança e redução do consumo.

 

Elimine os vícios  

Muitos motoristas têm hábitos que não se justificam nos carros modernos -- ou nem mesmo nos antigos -- e se refletem no aumento do gasto de combustível. Evite aceleradas com o carro parado, nas mudanças ascendentes de marcha ou antes de desligar o motor, ou ainda em longos minutos de aquecimento antes de sair: movimente logo o veículo, evitando grandes esforços no início. O uso do ponto-morto em descidas, além de proibido pela legislação (art. 231, inciso IX, do Código Nacional de Trânsito), é anti-econômico: nos carros com injeção eletrônica (como em praticamente todos os carros desde a década de 1990), o sistema cut-off da injeção interrompe a alimentação ao tirar o pé do acelerador com marcha engatada, representando consumo zero de combustível. Portanto, nada de “banguela”!

 

Já desligar o motor em paradas rápidas, como semáforos, pode não ser boa idéia: além de o consumo ser muito pequeno (de 1 a 2 litros por hora), há a demanda elétrica ao dar nova partida (exigindo reposição da energia na bateria, pelo alternador, que gera consumo de combustível) e a perda de tempo ao sair, prejudicial ao tráfego. Só vale a pena desligar se a parada exceder três minutos.

 

Menor rotação  

Nos motores a quatro tempos de ciclo Otto (motor a gasolina, álcool e GNV), o menor consumo é obtido com a menor rotação do motor possível, mesmo que seja preciso acelerar a fundo para atingir o desempenho desejado. Portanto, troque de marcha bem cedo, pulando uma delas se for o caso. A maioria dos carros pode passar de primeira para terceira a 20 km/h e desta para quinta a 40 km/h, por exemplo, usando o acelerador a fundo, sem esforço ou lentidão excessiva. O ideal é que a 50 km/h já esteja trafegando em quinta marcha.

 

            Estas são dicas valiosas para a redução de consumo e desgaste do veículo, sem contar que dirigir com tranqüilidade diminui, e muito, o estresse do trânsito e a possibilidade de acidentes.

AUTOR
Jefferson Dantas

outros artigos

MAIS ARTIGOS